Skip directly to content

Projeto que incentiva geração de energia limpa na Capital é aprovado pela Câmara

21/05/2020 - 11:15

A produção e o consumo de energia de fontes limpas são de extrema importância para a proteção do meio ambiente e da manutenção da qualidade de vida das pessoas. Como quase não geram gases na atmosfera, não colaboram para o efeito estufa, nem favorecem o aquecimento global do planeta. Esse efeito dentro da nossa Capital pode melhorar a qualidade de vida nos moradores, além da diminuição da conta de luz nas casas, empresas e órgãos públicos.


O projeto de lei do vereador Junior Longo, aprovado pela Câmara na última terça-feira, dia 19 de maio, dispõe sobre a Política Municipal de Estímulo e Incentivo ao Aproveitamento da Energia Solar de Campo Grande, que busca incentivar a geração de energia alternativa. Com isso teremos um aumento na geração de empregos locais e de qualidade, na cadeia produtiva de energia solar e a capacitação e formação de recursos humanos, para atuar em todas as etapas deste processo. Além de apoiar a implantação e o desenvolvimento de projetos que contemplem como fonte subsidiário de energia, a utilização de equipamentos de energia solar.


Com esse estímulo, pode-se reduzir as fontes de energia não renováveis e aumentamos o consumo de energia limpa. Junior ainda reforça que “o poder público estando em consonância com essa nova modalidade, que é uma forma de energia limpa, precisa cada vez mais incentivar: adotando em suas obras, nas suas licitações de obras, sendo um dos parâmetros, a energia solar. Isso pode trazer uma economia enorme para a administração Pública e também para as pessoas tanto físicas quanto jurídicas que queriam adotar a energia solar”.
Isso apenas reforça que nos últimos tempos, os brasileiros que tiveram conhecimento sobre os variados tipos de energias renováveis, e passaram a utilizá-las para consumo próprio. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) divulgou que no Brasil havia 431 casas e empresas que utilizavam os recursos em 2014, contra mais de sete mil em dezembro de 2018. Interessante destacar, que o Mato Grosso do Sul tem um grande potencial para a geração de energia solar, por ter uma grande incidência de Sol no Estado.